SAÚDE

Posso fazer parto normal após uma cesárea?

02 de outubro de 2018 , por Equipe Danone Baby

De 60% a 80% das gestantes podem ser submetidas a parto normal depois da primeira cesárea


Quem já fez uma cesárea pode ter o segundo filho por parto normal? Assim como a maioria das respostas relacionadas ao processo de se tornar mãe, a resposta para essa pergunta não é positiva, nem negativa, tudo depende do motivo que levou a mulher a ser submetida a uma cesariana.

Se a cirurgia foi feita em decorrência de uma complicação permanente como uma bacia muito pequena ou a presença de determinada doença, é bem possível que todos os filhos precisem nascer dessa forma.

Porém, segundo a OMS, entre 60% a 80% das grávidas com uma única cesariana anterior podem ter um parto normal na próxima gestação, sem que apareçam riscos graves para a saúde da mãe e do bebê. É o caso de mulheres que precisaram optar pela cesárea devido a características daquela gravidez em específico. Algumas das motivações, nesse caso, são: a posição do bebê, a posição mais baixa da placenta ou complicações enfrentadas durante o trabalho de parto.

O parto vaginal depois da primeira cesárea é tão comum que na Inglaterra, por exemplo, 75% das mães que foram submetidas à cirurgia no primeiro filho fazem parto vaginal na segunda vez.

Riscos do parto normal após cesárea

Os riscos dessa escolha costumam ser pequenos e sem grandes repercussões. Um deles é a ruptura, durante o trabalho de parto, da cicatriz do útero devido à cesariana anterior. Mas isso só acontece com 2% a 5% das gestantes e há procedimentos seguros para conter a ruptura.

Como precaução, no entanto, a maioria dos obstetras contraindicam que a gestante que fez cesárea e agora opta pelo parto normal escolha parir fora do hospital. Isso porque alguns procedimentos médicos de emergência como a indução ou aceleração do parto podem aumentar consideravelmente as chances de ruptura.

Feito com segurança e com o acompanhamento necessário, o parto normal traz inúmeros benefícios ao bebê e à mãe, quando comparado à cesárea. A recuperação é mais rápida, assim como a disposição para amamentar. Durante o parto, a mãe fabrica os hormônios prolactina e ocitocina, fundamentais para a produção do leite. O bebê também é beneficiado, pois não corre o risco de ser retirado da barriga antes do tempo, sofre menos com problemas respiratórios e tem menor risco de contrair doenças.

Conheça: Loja Oficial da Danone



Referências bibliográficas

Ministério da Saúde – “Relatório de recomendação – Diretrizes de Atenção à Gestante: a operação Cesariana”, 2015. http://conitec.gov.br/images/Consultas/Relatorios/2015/Relatorio_PCDTCesariana_CP.pdf

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) – “Quem espera, espera”, 2017. https://www.unicef.org/brazil/pt/quem_espera_espera.pdf

Revista Brasileira de Enfermagem – “Parto normal e cesárea: representações sociais de mulheres que os vivenciaram”, 2014. http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n2/0034-7167-reben-67-02-0282.pdf

Direção Geral de Saúde de Portugal – “Parto vaginal após cesariana”, 2015. https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0032015-de-19012015-pdf.aspx

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas

Loading...