Prisão de ventre na gravidez: o que fazer e como prevenir o intestino preso

SAÚDE

Prisão de ventre na gravidez: o que fazer e como prevenir o intestino preso

05 de outubro de 2017, por Debora Stevaux

As principais causas são os hormônios e a pressão do útero. Saiba como amenizar


Desde o momento da fecundação, a gravidez é um dos processos em que o corpo da mulher mais se transforma. E é natural que, assim como tudo na vida, essas mudanças sejam positivas e negativas. Além das náuseas, alguns dos mais frequentes sintomas da gravidez durante os três primeiros meses é a prisão de ventre.

O intestino preso pode ser diagnosticado pela dificuldade constante de evacuar, com aplicação de grande força, além do intervalo grande entre uma e outra ida ao banheiro. Em casos mais sérios, pode ultrapassar três dias.

Há dois motivos principais para a constipação. O primeiro são os hormônios: a progesterona, o estrógeno e a relaxina produzidos na gestação são capazes de mudar o comportamento de algumas células do sistema gastrointestinal, que acabam por processar os alimentos num fluxo mais lento, favorecendo uma maior absorção de água e dificultando, assim, o processo de fazer cocô. Outro fator que pode agravar o desconforto é a pressão que o útero, em constante processo de expansão, faz sobre o reto.

prisão de ventre

Uma das complicações mais sérias do intestino preso é o desenvolvimento de hemorróidas, ou seja, a dilatação das veias da região anal, também extremamente comum durante a gravidez. Por isso, se você percebeu a ocorrência de alguns desses sintomas e possui histórico familiar, procure seu médico.

Prevenção da prisão de ventre

Uma das formas mais eficazes de prevenir e até mesmo tratar o intestino preso é por meio de uma boa alimentação, rica em fibras, além da hidratação constante. Pense que você está gerando uma outra vida, por isso o consumo de água durante a gravidez é mais que importante, é fundamental. Uma dieta fortalecida com cereais, pães e bolos integrais, além de frutas e verduras é uma boa pedida. Especialistas indicam que se tome, por dia, cerca de um litro e meio de água, o que corresponde a aproximadamente 8 copos.

A prática de atividades físicas também é uma excelente forma de manter o problema longe: caminhadas, ioga e hidroginástica também vão melhorar sua saúde como um todo, além de aumentar sua disposição diária.

Outra dica de ouro é tentar ir ao banheiro em horários em que o intestino funciona melhor: geralmente pela manhã, logo após acordar ou depois do café. Medicamentos reguladores da função intestinal como concentrados de fibras vegetais e laxativos à base de óleo mineral também podem ser indicados, mas somente devem ser incorporados à rotina materna mediante prescrição médica.



Referências bibliográficas

Pequenos distúrbios da gravidez” – Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Artigo de revisão – Constipação intestinal e gravidez” – Biblioteca Virtual de Saúde – Universidade de São Paulo.

Constipação na gravidez” – Revista Brasileira de Coloproctologia.