Como mães e bebês podem se beneficiar do banco de leite

NUTRIÇÃO

Como mães e bebês podem se beneficiar dos bancos de leite

08 de novembro de 2017, por Equipe Danone Baby

Os bancos de leite são locais que coletam e doam o alimento para quem precisa, além de promover uma série de campanhas e cuidados que dão apoio a gestantes e mães recentes


Segundo a Organização Mundial da Saúde as crianças devem ser amamentadas até o sexto mês de vida, podendo ser estendida até os 2 anos de vida ou mais.  Porém, em certos casos, a mãe que não conseguir amamentar seu filho pode recorrer ao banco de leite, local que recebe doações e as repassa para quem precisa.

Os bancos de leite humano costumam estar vinculados à maternidades ou hospitais infantis. São locais que promovem e incentivam a amamentação, além de coletar o excesso de leite de mães que o produzem em quantidades maiores do que o consumo do próprio filho. O alimento é doado para mulheres que têm dificuldade para amamentar e bebês prematuros ou doentes, internados em instituições de saúde.

banco de leite

No banco de leite humano, o leite ordenhado pela mulher é pasteurizado e passa por uma série de testes, como medida de acidez, teor de gordura e controle de contaminação por bactérias. Todas as amostras doadas são testadas com frequência e os produtos não podem ser comercializados, apenas doados mediante prescrição médica ou de nutricionista.

Como doar leite materno

O excesso de leite pode ser doado em bancos de leite ou postos de coleta, locais que realizam a coleta e estocagem do alimento. Geralmente, estão localizados dentro de hospitais, postos de saúde, empresas, escolas e universidades, mas sempre estão vinculados a um banco de leite.

Os postos de coleta não pasteurizam leite. Portanto, o alimento sempre deve ser adquirido nos bancos. Na pasteurização, o líquido é aquecido a 62,5°C durante 30 minutos, o que elimina a presença de vírus como o do HIV e hepatite. Dessa forma, não oferece risco à saúde.

Para doar, é preciso ordenhar o leite. O ideal é fazer isso depois da mamada ou quando as mamas estiverem muito cheias, utilizando as mãos. Após retirar o líquido, ele deve ser armazenado em um recipiente de vidro esterilizado com tampa de plástico, muitas vezes fornecido pelo próprio banco de leite.

Caso a mãe não tenha um recipiente oferecido pelo banco, é possível guardar o leite em um recipiente higienizado em casa com água fervente.

A importância do banco de leite humano

Além de garantir que bebês doentes, prematuros ou filhos de mães que não podem amamentar tenham acesso ao leite humano, os bancos realizam uma série de ações que incentivam o aleitamento materno e dão apoio para mulheres.

Gestantes e mães recentes podem visitar esses locais para tirar suas dúvidas e receber auxílio da equipe. Os responsáveis ensinam as técnicas necessárias para amamentação, ordenha manual, armazenamento do líquido e higienização das mamas, além de estimular a vontade de amamentar e esclarecer quais são as vantagens.

Mães também podem visitar esses locais com seus filhos para que a equipe as observe amamentando a auxilie da forma que for possível. Por fim, os profissionais acompanham a saúde das mulheres e bebês e realizam campanhas de captação de doadoras e conscientização sobre a importância de dar o peito.



Referências bibliográficas

Sociedade Brasileira de Pediatria (“Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade”)