Sociedade Brasileira de Pediatria lança Manual da Atividade Física Infantil

DESENVOLVIMENTO

Por que é importante praticar esportes? Sociedade Brasileira de Pediatria lança Manual da Atividade Física Infantil

08 de novembro de 2017, por Equipe Danone Baby

Assim como a alimentação saudável, a prática de atividades físicas deve ser encorajada pelos pais e familiares mais próximos dos pequenos


De acordo com dados divulgados pelo Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional, órgão do Ministério de Saúde, o número de crianças de até 5 anos de idade consideradas obesas aumentou 79% entre 2008 e 2013. As estatísticas alarmantes sobre obesidade infantil representam uma preocupação não somente para a comunidade médica, mas também para os pais e familiares dos pequenos, visto que isso pode desencadear problemas sérios de saúde.

Foi nesse cenário que a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou, em julho deste ano, o Manual de Orientação para a Promoção da Atividade Física na Infância e Adolescência. O documento, disponibilizado no próprio site da associação, caracteriza a obesidade infantil como “pandemia”, isto é, uma enfermidade epidêmica amplamente disseminada, e explica: “Jovens obesos apresentam maior probabilidade de desenvolver fatores de risco cardiometabólicos, diabetes, hipertensão, hepatopatia, doença articular, asma, problemas de saúde bucal, ansiedade, depressão, alterações ortopédicas e articulares, transtornos de déficit de atenção como hiperatividade, problemas de sono e percepção negativa de qualidade de vida.”

atividade física infantil

O material orienta pais, educadores e as próprias crianças e adolescentes sobre os benefícios da prática de atividades físicas para a saúde tanto física, quanto mental, entre eles cita-se: “o  aumento do volume de ejeção cardíaca, dos parâmetros ventilatórios funcionais e do consumo de oxigênio, redução da pressão arterial, aumento da sensibilidade à insulina e da tolerância à glicose, melhora do perfil lipídico, aumento da mineralização óssea, melhora da cognição, autoestima, sentimento de bem-estar e socialização.”

Participação dos pais é fundamental na criação de hábitos saudáveis

Assim como a alimentação saudável, a prática de atividades físicas deve ser encorajada pelos pais e familiares mais próximos dos pequenos. Recomendações traçadas pelas novas diretrizes da Sociedade Brasileira de Pediatria ressaltam a importância da família na formação das crianças: estímulo para brincadeiras ao ar livre, participação em competições locais da escola ou do bairro em que vivem, e incentivo à prática de atividades domésticas simples como guardar os próprios brinquedos e arrumar a própria cama

Importância do estado de saúde da criança para a prática de atividades físicas

Antes de começar qualquer atividade física estruturada, é importante que os pequenos passem por consultas com seus pediatras e realizem exames para que saibam quais são seus limites e as recomendações necessárias durante a prática de esportes, de acordo com as características físicas de cada um.

Alguns fatores que devem ser levados em consideração pelo médico são: o histórico pessoal de cada criança; se há dor torácica durante o esforço físico; perda dos sentidos sem causa conhecida; fadiga excessiva durante esforço físico; elevação da pressão arterial; se a criança ou o adolescente possui alguma doença congênita do coração e, nesse caso, se há histórico familiar.

Confira abaixo, na íntegra, as recomendações para as crianças e adolescentes, de acordo com suas faixas etárias:

Recomendação geral

Ser fisicamente ativo todos os dias é importante para a promoção da saúde integral de crianças e adolescentes. É fundamental que as atividades sejam prazerosas e adequadas ao estado individual de crescimento e desenvolvimento da criança/adolescente.

Crianças de 0 a 2 anos de idade

  1. Bebês devem ser incentivados a serem ativos, mesmo que por curtos períodos, várias vezes ao dia.
  2. Bebês que ainda não começaram a se arrastar/engatinhar devem ser encorajados a serem fisicamente ativos alcançando, segurando, puxando e empurrando, movendo a cabeça, corpo e membros durante as rotinas diárias e durante atividades supervisionadas no chão, incluindo tempo em decúbito frontal.
  3. Bebês que conseguem se arrastar/engatinhar devem ser encorajados a serem tão ativos quanto possível em um ambiente seguro, supervisionado e estimulante.
  4. Crianças que conseguem andar sozinhas devem ser fisicamente ativas todos os dias durante pelo menos 180 minutos em atividades que podem ser fracionadas durante o dia e ocorrerem em ambientes fechados ou ao ar livre. Os 180 minutos podem incluir atividades leves, como ficar de pé, movendo-se, rolando e brincando, além de atividades mais energéticas como saltar, pular e correr.
  5. Crianças dessa faixa etária não devem permanecer em comportamentos sedentários por longos períodos, exceto quando estão dormindo. O comportamento sedentário representa o tempo em que as crianças estão fazendo muito pouco movimento físico, como passear de carro ou ficar no carrinho de bebê. Permanecer em comportamentos sedentários por longos períodos não é benéfico para a saúde e para o desenvolvimento da criança e deve ser evitado.
  6. Até os dois anos de vida recomenda-se que o tempo de tela (TV, tablet, celular, jogos eletrônicos) seja ZERO.

Crianças de 3 a 5 anos de idade

  1. Crianças dessa faixa etária devem acumular pelo menos 180 minutos de atividade física de qualquer intensidade distribuída ao longo do dia, incluindo uma variedade de atividades em diferentes ambientes e que desenvolvam a coordenação motora.
  2. Brincadeiras ativas como andar de bicicleta, atividades na água, jogos de perseguir e jogos com bola são as melhores maneiras para essa faixa etária se movimentar.
  3. Atividades físicas estruturadas, como natação, danças, lutas, esportes coletivos, entre outras, também podem ser paulatinamente incluídas.
  4. Comportamentos sedentários devem ser fortemente evitados e recomenda-se que o tempo de tela seja limitado em 2 horas por dia, sendo que quanto menos tempo gasto frente às telas será melhor.

Crianças e adolescentes de 6 a 19 anos de idade

  1. Crianças e adolescentes dessa faixa etária devem acumular pelo menos 60 minutos diários de atividades físicas de intensidade moderada a vigorosa. Atividades de intensidade moderada a vigorosa são aquelas que fazem a respiração acelerar e o coração bater mais rápido, tais como pedalar, nadar, brincar em um playground, correr, saltar e outras atividades que tenham, no mínimo, a intensidade de uma caminhada.
  2. A prática de atividade física superior a 60 minutos fornece inúmeros benefícios adicionais para a saúde.
  3. Atividades de intensidade vigorosa, incluindo aquelas que são capazes de fortalecer músculos e ossos, devem ser realizadas em, pelo menos, três dias por semana. Para a população pediátrica essas atividades podem ser não estruturadas, como brincadeiras que incluam saltos, atividades de empurrar, puxar e apoiando/suportando o peso corporal.
  4. Atividades de flexibilidade envolvendo os principais movimentos articulares devem ser realizadas pelo menos três vezes por semana.
  5. Crianças e adolescentes devem ser encorajados a participar de uma variedade de atividades físicas agradáveis e seguras que contribuam para o desenvolvimento natural, tais como, caminhadas, andar de bicicleta, praticar esportes diversos, se envolver em jogos e brincadeiras tradicionais da comunidade em que estão inseridas. Essas atividades melhoram os aspectos físico, emocional e social.
  6. Assim como para crianças de 3 a 5 anos de idade, comportamentos sedentários devem ser evitados e recomenda-se que o tempo de tela seja limitado em 2 horas por dia, sendo que quanto menos tempo gasto frente às telas será melhor. Porém, este limite não deve levar em consideração o tempo destinado ao uso de computador para realização de tarefas escolares.

Importante: As diretrizes aqui apresentadas são relevantes para todas as crianças e adolescentes, a menos que condições médicas específicas individuais indiquem o contrário.



Referências bibliográficas

Sociedade Brasileira de Pediatria – “Manual de Orientação – Grupo de Trabalho em Atividade Física – Promoção da Atividade Física na Infância e Adolescência”.