Desenvolvimento: com quanto tempo o bebê irá sentar, engatinhar e andar

DESENVOLVIMENTO

Marcos do desenvolvimento: com quanto tempo o bebê irá sentar, engatinhar e andar

30 de outubro de 2017, por Equipe Danone Baby

É a partir dos 6 meses que o lado motor dos bebês começa a se desenvolver mais rapidamente, mas é um longo caminho desde sentar-se sozinho até dar os primeiros passos


Acompanhar o desenvolvimento do bebê é algo mágico: cada vez que ele aprende um novo movimento, um novo gesto, que pode parecer muito simples, é indescritível a vibração dos pais. Todo esse processo tem um nome: marcos de sustentação, assim chamado pelos especialistas para se referirem às fases decisivas do desenvolvimento motor de cada faixa etária.

Entretanto, é importante que os pais saibam: apesar de existir uma idade adequada para o desempenho de cada atividade, cada bebê é único e tem ritmo próprio, o que justifica que alguns podem demorar mais ou menos para sentar, engatinhar, levantar ou até mesmo pular algumas etapas. Por isso, é fundamental que seu filho tenha um acompanhamento pediátrico constante para identificar possíveis problemas motores.

Antes mesmo de nascer, é importante que a mãe entenda que cuidar bem da própria saúde é a melhor forma de proporcionar ao filho um desenvolvimento neurológico e motor ideais. Portanto, é fundamental que a mulher, durante toda a gravidez, evite comportamentos que podem prejudicar o sistema neurológico central do bebê, como o uso de drogas e o tabagismo. Além disso, é muito importante que a futura mamãe siga as orientações de seu nutricionista, para garantir a ingestão adequada de nutrientes fundamentais para o bom desenvolvimento.

De resto, é apenas curtir e brincar muito nessa fase deliciosa, cheia de descobertas maravilhosas. Para tirar suas principais dúvidas, listamos abaixo os marcos do desenvolvimento infantil de acordo com cada faixa etária. Vamos lá?

desenvolvimento do bebe

Quando o bebê senta?

Com 3 meses o pequeno já é capaz de sustentar a própria cabecinha e, aos 5, consegue se virar, quando deixado de bruços, na posição chamada popularmente de “tartaruguinha”, em que se apóia nos antebraços. Mas é apenas no sexto mês de vida, geralmente, que o bebê consegue se manter sentado, ainda com apoio. Aos 9, a maioria das crianças já é capaz de se sentar sozinha.

Como estimular o bebê a sentar?

Uma boa forma de estimular para que o tronco do bebê fique firminho é segurá-lo pelos braços e puxar, sem muita força, para frente. Coloque o bebê em uma superfície plana, macia e firme, para que ele tenha mais segurança quando for brincar sentado. Almofadas são bem-vindas, num primeiro momento, mas aos poucos devem ser deixadas de lado. Disponha os brinquedos à sua frente, e vá aumentando a distância regularmente, para que ele projete o tronco para frente e para trás, exercitando, assim, o equilíbrio.

Com quantos meses o bebê engatinha?

Assim como qualquer movimento, antes mesmo de começar a engatinhar – que deve acontecer por volta dos 10 meses de idade – ele fará movimentos intermediários mais simples, como se arrastar ou rastejar. Isso pode acontecer entre os 6 e 8 meses. Há alguns bebês que nunca engatinham, mas essa é uma etapa importante, que deve ser incentivada.

Por que engatinhar é tão importante?

Alguns dos benefícios apontados pelos especialistas são: desenvolvimento mais acentuado dos músculos das mãos, braços e ombros; fortalecimento dos ligamentos tanto da parte superior quanto inferior do corpinho do bebê; estímulo da articulação do polegar que favorece a coordenação motora; aprimoramento da percepção espacial e de noções de profundidade; fortalecimento da coluna; melhora do equilíbrio; estímulo à formação de novas conexões neurológicas ligadas à concentração e à memória.

Como incentivar seu filho a engatinhar?

O primeiro passo é colocar a criança numa posição favorável, ou seja, de bruços ou sentada, sempre numa superfície plana e longe de objetos cortantes, tomadas, quinas de móveis, inseticidas, produtos de limpeza e remédios. Disponha os brinquedos em distâncias variáveis do corpinho do bebê — do mais perto, para o mais longe —, e ele tentará se movimentar para alcançá-los. Há quem prefira usar um tapete para engatinhar, feito de material emborrachado e colorido: pode ser uma boa opção para estimular ainda mais o pequeno.

Sempre fique à frente do bebê e fale com ele durante o processo. Ele reconhecerá a sua voz e presença, o que fará com que se sinta mais seguro para ir, aos poucos, aumentando a distância percorrida.

Qual é a idade estimada para o bebê andar?

É importante lembrar que não há uma idade certa, mas sim uma idade estimada por especialistas com base em estudos científicos para que a criança comece a dar os primeiros passos. Alguns pequenos de 7 a 9 meses já podem ficar de pé apoiados nas grades do berço ou do sofá. Entretanto, é só por volta dos 12 aos 14 meses que o bebê começa a andar, de fato. Aos 18 meses, a maioria das crianças consegue andar sozinha. Os primeiros passos são lentos, pois ele ainda está aprendendo e, como todo processo de aprendizagem, requer tempo, autoconfiança e estímulo para ser bem sucedido. No início, é bem comum que os bebês caminhem com os braços abertos, porque essa posição lhes confere maior equilíbrio e também maior noção espacial.

Como incentivar o bebê a andar?

Muitos pais buscam por sapatos adequados para que seus filhos comecem a dar os primeiros passos, entretanto, especialistas indicam que a forma mais indicada para que o bebê comece a andar é descalço. Afinal, o pé no chão irá favorecer o equilíbrio e estimular os sentidos: ele reconhecerá, com os pezinhos, diferentes texturas como chão, tapete, areia e grama, por exemplo.

Alguns estudos científicos desestimulam o uso do andador, visto que, além de representar risco de acidentes para o bebê, o objeto pode afetar o desenvolvimento natural da criança, pois ela fica na ponta dos pés, devido à sua postura no andador, quando deveria apoiar a planta inteira dos pés no chão.

Num primeiro momento, é importante que você segure seu filho pelas mãos e o coloque entre as suas pernas para caminhar com ele. Aos poucos, ele irá soltando suas mãos, segurando apenas um dedo, até ser capaz de caminhar sozinho. Quando ele já estiver andando sozinho, fique distante do pequeno e abra os braços para que ele vá até você. E não se esqueça de usar brinquedos que possam ser empurrados e músicas para tornar esse momento tão especial ainda mais divertido.



Referências bibliográficas

Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal – (“Por que engatinhar é importante?”)

“Manual Pediátrico – Orientação Impressa.”

Fundação Oswaldo Aranha – Centro Universitário de Volta Redonda – (“O Desenvolvimento Motor Normal da Criança de 0 à 1 ano: Orientações para Pais e Cuidadores”)

Ministério da Saúde – Secretaria de Políticas de Saúde, 2002 – (“Saúde da Criança – Acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento Infantil”)

Sociedade Brasileira de Pediatria (“Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade”).