Importância do pré-natal para a gestante e o bebê

DESENVOLVIMENTO

Importância do pré-natal para a gestante e o bebê

30 de abril de 2018, por Equipe Danone Baby

O pré-natal pode prevenir o desenvolvimento de condições graves, como a pré-eclâmpsia, e ajudar a gestante a lidar com suas inseguranças ao longo da gravidez


Assim que descobre que está grávida, a futura mamãe deve procurar um obstetra de confiança para dar início ao pré-natal. Ao longo da gestação, ela fará uma série de exames e consultas para acompanhar o desenvolvimento do bebê e monitorar as condições de saúde de ambos.

O pré-natal pode prevenir o desenvolvimento de condições graves e ajudar a gestante a lidar com suas inseguranças ao longo da gravidez.

Segundo o Ministério da Saúde, o pré-natal tem papel fundamental na prevenção e/ou detecção precoce de patologias maternas e fetais. Realizá-lo corretamente permite o desenvolvimento saudável do bebê e reduz os riscos para a gestante. As consultas também são uma oportunidade para a mulher tirar dúvidas e se sentir mais tranquila e confiante com a nova fase da vida que está por chegar.

A realização do pré-natal permite identificar doenças já presentes no organismo, mas que podem evoluir de forma silenciosa, como hipertensão arterial, diabetes, problemas no coração, anemia e sífilis. O diagnóstico dessas doenças permite que o médico indique um tratamento adequado e assim evite maiores prejuízos à mulher e ao bebê.  Além disso, durante os exames e consultas, o profissional de saúde irá identificar se o feto apresenta malformações, cromossomias ou outras questões que exijam atenção.

O pré-natal também possibilita identificar a existência precoce de pré-eclâmpsia, condição que se caracteriza pela elevação da pressão arterial, comprometendo a função renal e cerebral, ocasionando convulsões e comas.

Principais objetivos do pré-natal

O Ministério da Saúde destaca:

  • Preparar a mulher para a maternidade, proporcionando informações educativas sobre o parto e os cuidados com o bebê
  • Conversar sobre hábitos de vida e higiene pré-natal
  • Fornecer orientações sobre o uso de medicações ou ações que possam prejudicar o feto
  • Tratar das manifestações físicas próprias da gravidez
  • Cuidar de doenças que possam interferir no andamento da gravidez
  • Fazer prevenção, diagnóstico precoce e tratamento de doenças próprias da gestação
  • Orientar psicologicamente a gestante para lidar com a maternidade
  • Aconselhar a gestante com relação a temas como dieta, higiene, sono, hábito intestinal, exercícios, vestuário, sexualidade, hábito de fumo, álcool, drogas e o que mais for necessário
  • Informar sobre o parto saudável e humanizado

Como funciona o pré-natal

Pelo Sistema Único de Saúde (SUS), cada mulher tem direito a, pelo menos, seis consultas de pré-natal em qualquer unidade hospitalar pública da sua cidade. Nesses atendimentos, além de se aconselhar sobre dieta saudável, nutrição ideal, atividade física, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e outras questões, a gestante deve realizar uma série de exames de sangue, urina, fezes, papanicolau e ultrassons.

Toda gestante deverá receber:

  • Calendário de vacinas e suas orientações
  • Solicitação dos exames a serem realizados
  • Agendamento da consulta médica para pesquisa de fatores de risco

Pelo SUS, as futuras mamães também devem ter acesso a:

  • Cartão da gestante com a identificação preenchida e orientações sobre como utilizá-lo
  • Dicas sobre a importância de participação em atividades educativas, como visitas domiciliares e reuniões em grupos


Referências bibliográficas

Ministério da Saúde (Importância do pré-natal)

Organização Mundial da Saúde (Mulheres grávidas devem ter acesso aos cuidados adequados no momento certo, afirma OMS)