Farmacinha do bebê: itens que não podem faltar em casa

DESENVOLVIMENTO

Farmacinha do bebê: itens que não podem faltar em casa

30 de outubro de 2017, por Equipe Danone Baby

Como a vida com recém-nascido em casa é muito corrida, monte a farmacinha do bebê antes do parto


Os pais bem sabem: com um bebê em casa, é praticamente impossível sair toda hora para comprar itens de higiene para deixar o bebê limpo e fresquinho. Principalmente se ele ainda é recém-nascido, ou seja, tem até 28 dias de vida. Neste caso, é importante que a “farmacinha” seja montada antes mesmo de a mãe dar à luz.

kit higiene bebe

Durante o primeiro mês de vida, a pele do recém-nascido possui uma camada de gordura, chamada cientificamente de lipídica, responsável pela proteção contra bactérias e outros agentes infecciosos. Portanto, é preciso atenção com produtos muito cheirosos ou que não são indicados para o público infantil. Para facilitar, reunimos 16 itens que não podem faltar na farmacinha. Confira:

  1. Um ou mais pacotes de fraldas descartáveis ou de pano do tamanho indicado para recém-nascidos

É importante lembrar de guardar a nota fiscal para eventuais trocas, porque por mais que os tamanhos sejam indicados para a idade da criança, o bebê pode ser maior ou menor do que o previsto. O tamanho ideal só será visto quando ele, de fato, nascer.

  1. Caixa de hastes flexíveis com pontas de algodão

Embora não deva, em hipótese alguma, ser inserida nas orelhinhas do seu filho, esse produto pode ser bem útil para limpar as dobrinhas e higienizar o coto umbilical, além das genitais, principalmente das meninas, que devem ser limpas com regularidade.

  1. Um pacote de bolas de algodão

É bem útil na hora de higienizar o bebê, por ter textura suave e absorvente, que não agride a pele.

  1. Dois potes plásticos

Um para guardar as hastes flexíveis e outro para as bolas de algodão. É importante que esses produtos, utilizados na limpeza da criança, não fiquem expostos a ação de germes e outras bactérias. Além de estarem guardados em um local limpo, fresquinho e arejado.

  1. Sabonete líquido neutro

Prefira sempre aqueles que não possuam aromas fortes e que sejam indicados para a faixa etária de recém-nascidos. Não compre muitos produtos de banho para o seu bebê, afinal, você não sabe ainda se ele terá alergia a algum componente presente na fórmula. A maioria dos especialistas não indica o uso de xampu durante o primeiro mês de vida, visto que o cabelinho do bebê ainda é muito fino e o couro cabeludo é uma das áreas mais sensíveis. Sempre peça recomendações ao pediatra.

  1. Um frasco de álcool a 70%

Para higienizar o coto umbilical, que deverá cicatrizar no período de 10 a 14 dias depois do corte do cordão umbilical, e evitar, assim o aparecimento de infecções graves nessa região tão sensível.

  1. Garrafa térmica para água morna

É importante que o bumbum e as genitálias dos bebês sejam higienizadas com água morna para evitar assaduras. Portanto, uma garrafa térmica para guardar a água térmica é uma excelente opção para que os pais não precisem ficar esquentando a água o tempo todo.

  1. Um pote de lenços umedecidos

Mesmo que a higienização do bumbum e das genitálias feita com lencinhos seja extremamente prática, muitos pediatras recomendam que seja uma opção para as trocas fora de casa. O algodão é sempre preferível.  

  1. Tesourinha sem ponta

A tesoura precisa ser sem ponta para evitar que o bebê se machuque quando os pais forem cortar suas unhas, tanto dos pés, quanto das mãos. É importante que esse objeto seja higienizado com frequência também, preferencialmente com álcool.

  1. Pente ou escova

As duas variações servem para pentear o cabelinho do bebê, e podem ser escolhidas pelos pais, seguindo as recomendações de que deverão possuir cerdas macias para não machucar o couro cabeludo do bebê, tão sensível durante os primeiros meses de vida.

  1. Termômetro

Há uma infinidade de tipos de termômetro disponíveis, com preços que variam muito. Aqueles capazes de aferir a temperatura na testa ou na orelha costumam incomodar bem menos o bebê, mas são mais caros. O termômetro é imprescindível para situações corriqueiras. Casa com criança tem de ter termômetro.

  1. Termômetro para banheira

É importante que os pais tenham dois exemplares de termômetro, um para medir a temperatura do bebê e outro para a temperatura da água durante o banho, que deve ser entre 36ºC a 37,5ºC.

  1. Pomada para prevenção de assaduras

Geralmente, os pediatras indicam aquelas que são feitas à base de óxido de zinco, vitaminas A e D para prevenir assaduras, muito comuns durante os primeiros meses de vida. Entretanto, antes de comprar a mãe deve perguntar ao pediatra qual ele recomenda.

  1. Soro fisiológico para uso nasal

O produto é ideal para limpar bem o nariz do bebê, mas também deve ser adquirido após a indicação do pediatra.

  1. Bolsa de água quente pequena

Prefira aquelas que têm formato redondo, para aliviar as cólicas do recém-nascido.

  1. Aspirador nasal com pera de borracha

Não é um item obrigatório, mas ajuda muito a aspirar as secreções do bebê, quando o pediatra orientar.

Substâncias que podem ser prejudiciais para a pele do bebê e devem ser evitadas, de acordo com orientação médica:

  • Sódio lauril sulfato (SLS): é um potente irritante da pele que danifica a barreira lipídica e causa inflamação e descolamento das camadas da pele. Quando associado a outros produtos, como triclosan, tende a ficar aderido à pele por horas ou dias;
  • Sódio laureth sulfato (SLES) e amônio laureth sulfato: são agentes que formam a espuma de produtos como pastas de dente, gel de banho, espuma para banheiras. São irritantes, podem danificar proteínas e provocar úlceras orais;
  • Metilisotiazolina: encontrado em xampus e condicionadores, tem sido associado a defeitos neurológicos;
  • Parabenos (metilparabeno, propilparabeno, etilparabeno e butilparabeno): encontrados em loções e xampus para bebês e também em lencinhos de limpeza. Podem causar dermatite de contato e erupções cutâneas;


Referências bibliográficas

Universidade Federal do Rio de Janeiro – (“Banho no recém-nascido”)

Sociedade Brasileira de Pediatria – (“Filhos: da gravidez aos 2 anos de idade”)