Desfralde: 12 dicas de ouro para dar adeus (de vez) às fraldas!

DESENVOLVIMENTO

Desfralde: 12 dicas de ouro

21 de fevereiro de 2018, por Debora Stevaux

O desfralde requer muita paciência e cumplicidade. Explicamos o que significa e listamos 12 dicas de ouro.


Poucos momentos são tão aguardados pelos pais quanto o desfralde. É praticamente impossível calcular quantas fraldas uma criança usará até ser capaz de fazer xixi ou cocô sozinha. Porém, o intervalo varia de 1 ano e meio de idade até por volta dos 3.

Tecnicamente, o desfralde diz respeito ao período em que o bebê vai parar de usar as fraldas por ser capaz de controlar seus esfíncteres, como são chamados os músculos responsáveis por segurar e liberar a saída da urina e do cocô.

Entretanto, para além das questões biológicas, é importante entender que parar de usar fraldas depende de outro aspecto – o do reconhecimento do próprio corpo e da construção da independência, que começa a se acentuar a partir dos 2 anos de idade. Ou seja, quando atingem essa faixa etária, as crianças começam a entender suas dimensões e funções, bem como as do ambiente que as cerca.

Para que a experiência seja positiva, a participação da família é fundamental. Caso a criança seja apressada para sair das fraldas ou se sinta prejudicada, lesada ou agredida, provavelmente o processo será muito mais demorado e o pior, assumirá contornos traumáticos.

Mesmo que não haja idade exata para que aconteça o desfralde, o seu filho dará alguns sinais de que já está apto a usar cuecas ou calcinhas.

Para te ajudar a identificar se é o momento ou não do desfralde, listamos algumas dicas de ouro. Vamos lá?

Manifestações físicas

  • É capaz de se sustentar de pé com firmeza, e já anda;
  • Já faz cocô em horários mais ou menos previstos, e faz movimentos que indicam que está evacuando, como abaixar ou ficar paradinho em um canto;
  • Cocô possui um formato mais ou menos sólido;
  • Faz uma grande quantidade de xixi de uma só vez e não de pouquinho em pouquinho;
  • Passa um intervalo de 3h a 4h seco: isso representa um treinamento do esfíncter e da bexiga para segurar a urina;

Manifestações cognitivas

  • É capaz de entender e obedece a simples comandos e instruções, como pegar determinados objetos;
  • Sabe ou pelo menos está aprendendo que determinadas ações e comportamentos têm hora e local adequados para acontecer;
  • Já chama xixi e cocô por termos específicos que não precisam ser, necessariamente, as duas palavras;
  • Já identifica que ir ao banheiro está atrelado a objetivos relacionados à higiene pessoal, como fazer xixi, cocô, lavar as mãos, escovar os dentes, tomar banho etc.
  • Compreende os sinais do próprio corpo quando está com vontade de ir ao banheiro e é capaz de pedir ou alertar os pais sobre isso, se mostrando disposto(a) a controlar essa vontade quando preciso;

Manifestações comportamentais

  • É capaz de ficar sentadinho em uma só posição por um intervalo de 2 a 5 minutos.
  • É capaz de, mesmo com a ajuda e supervisão, abaixar e levantar a calcinha ou cueca e a calça;
  • Se sente claramente incomodado quando a fralda está molhada de xixi ou suja de cocô;
  • Se mostra curioso ou interessado em ver os pais ou cuidadores realizarem hábitos de higiene como fazer xixi, usar as roupas de baixo, lavar as mãos etc.
  • Fala ou mostra com pequenos atos que está com vontade de evacuar, seja pela feição ou pelas ações, se abaixando, ficando num cantinho ou até mesmo falando;
  • Dá sinais e se mostra interessado em ser mais independente e está no processo de construir a própria autonomia;
  • Se orgulha e se mostra satisfeito com cada conquista mesmo que pequena;
  • Não se mostra resistente ao usar a privada ou o penico e até demonstra certo interesse ou curiosidade ao usá-los;

12 dicas para fazer o desfralde

  1. As crianças aprendem tudo pela imitação, então permita que ela veja, incentive e ensine pelo seu próprio hábito de ir ao banheiro. Se o seu filho for menino, deixe que ele veja o papai urinar, se for menina, permita que ela veja a mamãe. Ele irá notar as diferenças e se mostrará curioso para aprender.
  2. Tenha o objeto adequado para seu filho fazer xixi, seja o penico ou um suporte para o vaso sanitário, ou ambos. Verifique se ele está sentando adequadamente e ofereça opções para que ele se sinta confortável e tranquilo na hora de fazer suas necessidades básicas. Ter um banquinho para que consigam subir até o vaso também é uma excelente opção.
  3. Ofereça à criança cuecas ou calcinhas divertidas, estampadas e coloridas. E deixe que ela escolha qual irá querer usar. Além de ajudar na construção da autonomia, ela criará gosto por determinada peça e isso poderá ser uma boa forma para que ela deixe de lado as fraldas.
  4. Desenvolva uma estratégia: geralmente os pais costumam tirar, primeiro, a fralda de dia e aos poucos vão tirando a do período noturno. Retirar completamente pode até apressar o processo, mas as escapadas também serão recorrentes. Especialistas acreditam que o clima ideal para o desfralde é o verão e a primavera, ou seja, estações quentes, que acabam por coincidir com as férias escolares. Existem no mercado as ‘pull-ups’, como são chamadas as ‘fraldas de treinamento’, que podem ser uma mão na roda nesse processo, e se assemelham bastante com roupas de baixo e podem ser tiradas facilmente pelos pequenos.
  5. Mesmo se o seu filho for menino, é importante que ele aprenda, primeiro, a fazer as necessidades biológicas sentado, pois as chances do xixi e do cocô virem juntos no começo são grandes.
  6. Permita que seu filho fique pelado por um tempinho. Afinal, essa é uma das formas de ele não fazer xixi ou cocô na roupa.
  7. Evite vestir macacões, jardineiras, bodies e outras roupas difíceis de tirar. É importante que ele aprenda a se desvestir sozinho, e esse tipo de roupa é um empecilho.
  8. Em hipótese alguma fique bravo caso escape xixi ou cocô na roupa. Isso certamente criará uma ansiedade desnecessária e poderá gerar traumas e barreiras que atrapalharão no processo. Em contrapartida, comemore bastante, elogie e crie um processo de recompensa para quando as pequenas vitórias forem alcançadas.
  9. Converse bastante com a criança durante o desfralde e torne o processo divertido. Vale cantar, ler livrinhos sobre o tema, explicando para onde vão as fezes e o xixi, o porquê deles existirem etc.
  10. Especialistas recomendam que o desfralde noturno seja feito apenas quando o diurno esteja bem encaminhado. Em alguns casos, os pequenos fazem xixi logo quando despertam, o que pode ser um bom momento para levá-lo ao banheiro. Se o seu pequeno permanecer por um período de 3 a 5 dias com a fralda sequinha de noite, tente tirá-la. Normalmente, o organismo das crianças demora bastante para conseguir segurar o xixi durante o sono profundo, então pode ser um processo demorado.
  11. Evite fazer esse processo em momentos muito turbulentos da vida da família, como mudança de casa, de escolinha, chegada de um irmãozinho, morte de um parente, viagens, separação dos pais etc. É importante que seu filho se concentre nesse processo exclusivamente e todos esses acontecimentos podem prejudicar bastante e desviar o foco.
  12. No dia do adeus às fraldas, faça uma grande festa. É importante que seu filho entenda que essa é uma grande conquista e elogiá-lo bastante é uma excelente forma de fortalecer sua autoestima e autonomia. Agora, você precisará lidar com o recorrente: “Já terminei, pode vir me limpar!” vindo do banheiro.


Referências bibliográficas

The Natural Toilet Training Alternative – “The Diaper-Free Baby”.

Projeto Mães Que Educam – “Como fazer o desfralde do seu filho”.

MIM – Clínica do Desenvolvimento – “Adeus às fraldas”.

Bahiense Educação Infantil – “Desfralde”.