DESENVOLVIMENTO

Sete benefícios do parto normal para a mãe e para o bebê

21 de dezembro de 2017 , por Equipe Danone Baby

Quando o bebê sai pelo canal vaginal e ‘escolhe’ o momento de nascer, há vantagens tanto para ele, quanto para a mãe


Parto normal ou cesárea? De acordo com dados coletados pelo Ministério da Saúde na rede pública, o número de cesáreas realizadas em todo o território nacional corresponde a 55,5% do total de partos em 2016. Nas maternidades particulares, o número de cesáreas alcança 84% de todos os partos catalogados. O percentual é bem acima do que recomenda a Organização Mundial de Saúde. As diretrizes da OMS afirmam que as cesáreas devem representar de 10% a 15% de todos os partos realizados e realizadas quando houver alguma dificuldade ou impedimento.

Quando o bebê sai pelo canal vaginal e ‘escolhe’ o momento de nascer, há uma série de vantagens tanto para ele, quanto para a mãe. (Foto: iStock).

Isso porque o parto normal tem um série de vantagens tanto para a mulher como para o bebê. Confira:

Benefícios do parto normal para o bebê

  • Reduz o desconforto respiratório do bebê no momento da sua chegada ao mundo

Quando o bebê está passando pela vagina da mãe, seu tórax é submetido a um processo de descompressão compensatória. Ou seja, o alto nível de oxigênio que a criança recebe quando passa pelo canal vaginal age como um estímulo para os aparelhos cardiovascular e respiratório, reduzindo significativamente as chances de asfixia e de aspiração do líquido amniótico que é expelido pelos pulmões durante os primeiros instantes de vida. Nascer de parto normal também reduz em 16% as chances do bebê de desenvolver asma e outros problemas respiratórios.

  • Diminui as chances de nascer “antes da hora”

De acordo com dados divulgados pelo relatório “Quem espera, espera”, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), em 2014, cerca de 11,2% de todos os bebês que nasceram no território nacional foram prematuros, ou seja, vieram ao mundo antes de completar a 37ª semana de gestação. Por isso, do ponto de vista de estudos científicos, o parto vaginal é uma das formas que o bebê tem de ‘escolher’ nascer. As contrações funcionam como um sinal de que ele está pronto para vir ao mundo.

  • Ajuda o bebê a formar sua flora intestinal

Quando o pequeno atravessa o canal vaginal, a flora bacteriana da mãe ‘passa’ para o bebê, auxiliando-o na criação e desenvolvimento da sua própria flora intestinal. Um fator extremamente importante, visto que ele estará mais protegido contra a ação de bactérias que podem acometer o trato gastrointestinal.

  • O bebê nasce mais forte e esperto

Estudos científicos apontam que nascer pelo canal vaginal fortalece o sistema neurológico e imunológico dos pequenos. Isso acontece porque ele precisa se movimentar bastante para vir ao mundo, utilizando seus reflexos mais primários e instintivos. Esse grande gasto de energia também faz com que a criança precise de uma reposição simétrica, portanto, as chances dele querer mamar já nos primeiros instantes de vida são altas. E quanto antes a criança tomar o leite da mãe, maiores são as possibilidades dela mamar, exclusivamente, durante os primeiros 6 meses de vida, conforme indica a Organização Mundial de Saúde (OMS).  

  • Diminui as chances do bebê ter diabetes

O parto normal também reduz em 20% as possibilidades da criança de desenvolver diabetes do tipo I, por melhorar consideravelmente seu sistema metabólico, isto é, que é responsável por regular o funcionamento das funções básicas do seu corpinho, segundo dados divulgados neste ano pela pesquisa “Quem espera, espera”, realizada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Além disso, vir ao mundo quando quiser diminui o surgimento de alergias e doenças autoimunes.

Benefícios do parto normal para a mãe

  • Favorece a criação do vínculo materno

O parto normal possibilita que, logo após dar à luz, a mãe pegue seu filho no colo. Esse é um dos momentos mais importantes para a criação do vínculo materno. Quando a cesárea é realizada, esse ato pode ser dolorido para a maioria das mães, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde em informativo destinado aos profissionais de saúde sobre parto humanizado.

  • Possibilita uma recuperação rápida

Além de, na maioria das vezes, não implicar no aparecimento de dores, parir pelo canal vaginal também dispensa a presença das cicatrizes existentes após a realização de procedimentos cirúrgicos como a cesárea.

  • Reduz as chances de contração de infecções

Por não se tratar de um procedimento cirúrgico, isto é, que não há incisões, o parto normal reduz significativamente a possibilidade das mães contraírem infecções hospitalares e de hemorragias.

Especialistas recomendam a realização de cesáreas em casos específicos, principalmente se há o comprometimento da saúde da mãe e do bebê durante o trabalho de parto. Mulheres que são portadoras do vírus HIV também precisam dar à luz através do procedimento, visto que o nascimento é um dos momentos em que mais aumentam as chances do contágio por parte do recém-nascido.

Diretrizes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef)  publicadas neste ano 2017 listam os fatores que indicam a realização da cesárea:

  • Se a mãe possui um quadro grave de hipertensão;
  • Se o cordão umbilical ‘sai’ antes da criança;
  • Se a cabecinha do pequeno é muito desproporcional da abertura da passagem;
  • Se há descolamento de placenta antes do momento do nascimento;
  • Se o bebê está nas posições de sentado ou atravessado;
  • Se a região em que a placenta se encontra dificulta a saída do pequeno pelo canal vaginal.


Referências bibliográficas

Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar – Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé – “Parto normal: A natureza se encarrega, mamãe e bebê agradecem”.

Ministério da Saúde – “Parto natural e presença de acompanhamento são direitos de toda mulher”.

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) – “Quem espera, espera”.