COMPORTAMENTO

Volta ao trabalho após a maternidade: 10 dicas para quem é autônoma ou faz home office

01 de agosto de 2018 , por Debora Stevaux

Nem sempre a distância é o maior desafio na volta ao trabalho após o parto. Para quem trabalha em casa ou como autônoma, a maior dificuldade é a organização do tempo


A volta ao trabalho depois do parto é sempre um desafio para as mães, mas nem sempre por conta de ficar longe do filho. Com a versatilidade do mercado de trabalho e a mudança no perfil das empresas e dos profissionais, muitas mulheres trabalham em casa, como autônomas ou no esquema home office. O que não significa que tenham menos imprevistos  ou que trabalhem menos. Aliás, o que acontece é extremamente o oposto: embora haja a comodidade de estar em casa, conseguir conciliar filho e trabalho não é nada fácil. Sem contar a tendência de fazer muitas horas extras sem perceber.

Confira abaixo dez dicas que podem ajudar a mulher a organizar seu tempo de forma a produzir sem se sobrecarregar:

  • Monte uma rotina para você

Liste no papel tudo que você precisa fazer profissionalmente e busque conciliar com as atividades do seu bebê. Veja como funciona melhor o seu cronograma, que pode ser semanal, quinzenal ou mensal. O importante é que você tenha uma agenda com a rotina prevista – até para ver quando cabe mais trabalho e quando já há trabalho sobrando.

  • Esquematize um espaço na sua casa destinado somente ao trabalho

Uma das maiores dificuldades de trabalhar em casa é encontrar um espaço produtivo, confortável e que, de alguma forma, deixe a mãe afastada dos cuidados com o bebê Mas é imprescindível para que as funções não se misturem e que você consiga estar só com o foco no trabalho em parte do dia e esquecê-lo após o fim do expediente.

  • Conte com ajuda para cuidar do filho

É  muito difícil conciliar trabalho com o filho sem contar com ajuda extra. Os bebês – mesmo aqueles que parecem seguir uma rotina de sono previsível – podem decidir não tirar nenhuma soneca bem naquele dia da entrega de um projeto. Por isso, organize uma rede de apoio com familiares, babá ou escolinha por ao menos meio período.

  • Use a tecnologia ao seu favor

Há uma série de aplicativos que ajudam a montar um cronograma de trabalho de forma simples e prática, seja pelo celular ou computador. Eles ajudam a cumprir desde tarefas mais simples até lembrar de compromissos importantes, como reuniões ou consultas médicas. Wunderlist, Evernote, Google Keep e OneNote são alguns deles.

  • Tenha um plano B caso seu filho fique doente

As crianças não escolhem quando vão ficar doentes, porém, seja por azar ou coincidência, é praxe que isso sempre aconteça quando você está muito atolada de trabalho. Portanto, tenha um plano B caso isso aconteça. Nem todos os chefes são compreensivos e nem todos os compromissos são passíveis de serem adiados. Então, tenha uma rede de ajuda para situações de emergência como essa.

Nem sempre a distância é o maior desafio das mães na volta ao trabalho. Para aquelas que trabalham em casa, a maior dificuldade é se organizar. (Foto: iStock)

  • Não se cobre tanto

Estudos científicos desenvolvidos na área da psicologia têm apontado uma relação direta entre a culpa e a forma como as mulheres são criadas e enxergam a si mesmas, principalmente as que já deram à luz. Então, não se cobre tanto caso as coisas não saiam como planejado: trabalhar logo após o parto é realmente uma cobrança gigantesca. Estabeleça suas metas e tente cumpri-las mas, caso não consiga, não deixe que isso afete sua autoestima como mãe e profissional.

  • Se for autônoma, não abrace o mundo

Pessoas que trabalham como autônomos têm uma tendência de aceitar todos os trabalhos, seja por medo de não conseguir fechar a renda necessária mensal ou por receio de que uma negativa afaste para sempre o cliente. Porém, quando se tem um bebê em casa, estabeleça um limite para não enlouquecer com a sobrecarga de trabalho.

  • Estabeleça algumas janelas na sua rotina para compromissos com o seu filho

Use a versatilidade do trabalho a seu favor e a favor do seu pequeno: haverá dias em que você precisará ir ao médico porque ele não dormiu bem a noite inteira devido a algum problema. Se você conseguir regular as obrigações de forma a ter uma folguinha na agenda, conseguirá trabalhar menos nesse dia e encaixar a consulta ao pediatra no cronograma.

  • Jamais pule ou atrase demais as refeições

Alimentar-se bem é muito importante para a saúde da mãe e do bebê, principalmente se você ainda estiver amamentando. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o aleitamento materno deverá ser exclusivo até que os bebês completem 6 meses de idade. E para oferecer uma alimentação rica e adequada para seu filho, é importante que você também se alimente bem. Então, estabeleça os melhores horários para as suas refeições.

  • Avise a todos os familiares e amigos que você está trabalhando

Devido ao home office ser um modo recente de trabalho, alguns familiares ou amigos podem achar que não irão atrapalhar sua rotina se fizerem uma visita surpresa ou solicitarem que você resolva algum problema em horário comercial, o que poderá influenciar de forma negativa no seu trabalho. Sinalize aos demais que você precisa que esse horário seja respeitado.



Referências bibliográficas

Faculdade de Ciências da Saúde do Centro Universitário de Brasília – “O conflito entre a maternidade e o trabalho na mulher pós-moderna”, 2007.

Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – “Maternidade distanciada: Vivências de mães sobre o ajuste entre maternidade e profissão, da gestação ao retorno ao trabalho”, 2013.

The Postpartum Stress Center, LLC – “Guilt, Motherhood and the Pursuit of Perfection”, 2011.

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas

Loading...