Amor de mãe pode não ser imediato: Saiba o que fazer para incentivá-lo

COMPORTAMENTO

Vínculo com o filho recém-nascido pode não ser imediato: Saiba o que fazer para incentivá-lo

06 de junho de 2018, por Debora Stevaux

Pesquisa do National Childbirth Trust, do Reino Unido, revelou que uma em cada três mães tem dificuldade em estabelecer vínculo imediato com o bebê. Ações simples podem ajudar nessa aproximação


Você acredita que o amor da mãe pelo filho que acabou de nascer é instantâneo? Nem sempre. Foi o que revelou uma pesquisa realizada pelo National Childbirth Trust, organização britânica criada há 60 anos para apoiar pais e crianças durante a primeira infância. Segundo o estudo que ouviu 1515 novos pais, uma em cada três mães apresenta dificuldade para criar vínculos com seus filhos.

Pesquisa do National Childbirth Trust, do Reino Unido, revelou que uma em cada três mães tem dificuldade em estabelecer vínculo imediato com o bebê. Ações simples podem ajudar nessa aproximação. (Foto: iStock)

Ainda segundo os dados divulgados em 2016, 12% das mães disseram sentir vergonha ou culpa para expor a situação para profissionais de saúde. A pesquisa apontou que a criação do vínculo é fundamental para o desenvolvimento cognitivo da criança e das habilidades sociais. Também influencia diretamente na resposta que o pequeno dá ao estresse de adaptação ao mundo, após deixar a barriga da mãe.

Elizabeth Duff, representante do órgão britânico, explicou que esse vínculo molda o espectro emocional da criança e é crucial para o estabelecimento de relações durante toda a vida. “Os pais que não sentem essa conexão instantânea apresentam um sentimento forte de culpa, vergonha e inadequação. Por isso, um dos maiores objetivos dessa pesquisa é mostrar a eles que não estão sozinhos e que a criação desse vínculo é um processo que requer tempo e dedicação”, analisa a pesquisadora.

O estudo também pontuou o papel crucial dos especialistas como pediatras, doulas, enfermeiros e psicólogos na promoção da criação dessa relação. “É importante que esse assunto seja uma pauta a ser tratada pela equipe de profissionais de saúde junto aos pais, que devem ser encorajados a falar quando encontrarem problemas”, esclarece Elizabeth. Fatores como depressão pós-parto e ansiedade também podem interferir na criação de vínculo com o filho, destaca a investigação. A boa notícia é que, com apoio adequado, os pais tiveram facilidade para construir ou restabelecer o vínculo.

Veja três medidas simples que ajudam os pais a criar vínculo com o filho:

  • Conversar com outros pais que estão passando ou que passaram por problemas semelhantes para conseguir apoio e descobrir formas diferentes de lidar com o problema de maneira prática;
  • Valorizar e incentivar ações físicas de afeto como o contato pele a pele ou massagens suaves no corpo do bebê;
  • Realizar interações verbais com o bebê, mesmo que ele ainda não fale. Isso pode incluir ler livros, cantar músicas e conversar com ele para explicar o que está fazendo – ‘agora, vou trocar a sua roupa’ – ou enquanto executa tarefas da casa  


Referências bibliográficas

National Childbirth Trust – “Difficulties with baby bonding affect a third of UK mums”, 2016.